segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Cuidados cacos...

Uma cacofonia sinfônica reverbera no lugar dos pensamentos;
uma sinfonia sem cautela,
uma sucessão de acontecimentos -
sem sucesso, sem tutela.

Ruídos intermináveis confundindo a cachimônia
numa tal sem-cerimônia
que irrita e embevece.
Emociona-se na balbúrdia que tortura e envelhece.

Uma súbita vontade de partir para o silêncio e a sombra.
Uma viagem sem retorno
para além de onde se assombra,
para onde não há extremos de frio, de quente ou morno.

Um extremo bem no centro
sem média, sem mídia, sem fama.
Um lado externo por dentro,
um pântano sem lama.

A barulheira arrepia no lugar dos pensamentos.
Um dia após outro dia
na crista dos acontecimentos;
tranquilidade arredia...

[Adhemar - Sto. André, 21/08/2008]

Um comentário:

Adh2bs disse...

Comentário por shintoni — segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009 (10:54:34)
Adhemar:
Esta sua poesia é massa!
Valeu ter deixado lá no Duelos!
Abração e boa semana!

Comentário por Manhosa — segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009 (14:07:27)
Amigo do Coração… li 1… li 2… li 3… todas… arrepiei…
Sentimentos ruins… uma fuga final… muito medo…
Ufa…
Que bom… isto foi em um mês de ‘agosto’… super ultrapassado… risos…
Bjs.

Comentário por TATIANA REZENDE — quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009 (16:13:50)
Nossa, “cachimônia”? Peraí que vou ter de dar uma olhada no dicionário!
Beijos.