sábado, 4 de abril de 2009

ATROPELAMENTO

Emergência, urgência, premência...
Pressa, atraso, angústia.
Desalinhamento.
Olhar crítico sobre a posição do quadro.
Olhar analítico sobre a posição de tudo,
impossivelmente convencido e posudo.
Irremediavelmente obtuso.

Análise, diagrama, esquema.
Um projeto detalhado ou um problema?
Diante do desastre a contemplar extasiado,
o olhar meio espantado,
meio poema...
Afirmativamente abestalhado,
atrapalhado abantesma...

Objetividade, produtividade e lucro.
Correr atrás do próprio rabo
como se fôra um cachorro meio xucro.
Deprimente olhar esbugalhado,
estabelecido e delicado,
delirantemente distraído;
deliberadamente espalhado.

Afirmativo, positivo e avançado,
talvez flagrado em posição de impedimento.
Desconsolado, descolar um fingimento,
valentemente, segurar no fio desencapado.
Balançar a cabeça num fingido entendimento
do incompreensível, resumido e detalhado.

Piada de um palhaço engraçado,
contraditória em trajetória desviada.
Alçar os braços num gesto de vitória
mesmo perdendo na saúde e na doença.
Paralisado em alta velocidade,
acelerado e parando ao mesmo tempo;
se dividindo, se desintegrando
em tantas partes que contar já é história.

Cintilando cada fragmento,
em órbita no espaço divagando;
vai transformando em estrela, cada pedaço,
mais intenso, mais perdido e mais brilhando.
Futuro, experiência e esperança.
Planejamento impreciso e falhando.
Num momento voltar a ser criança
e sentir-se, outra vez, recomeçando!

[Adhemar - São Paulo, 08/02/2009]

2 comentários:

helena disse...

amei vir te ler...abraços

Adh2bs disse...

Do outro blog:

Comentário por Ylago Blanco — sábado, 4 de abril de 2009 (09:53:59)
Olá Adhemar!
Uma coisa que muito me admira em teus textos é o fato de que tu consegues abranger, com tamanha facilidade, vários fragmentos que rimem num mesmo todo. Com isso, você incita a memória do leitor. Faz o leitor pensar, mexe com os neurônios… Em cada estrofe o leitor é levado a buscar um novo e diferente pensamento…
E isso eu gosto!
Abração!

Comentário por caurosa — domingo, 5 de abril de 2009 (15:00:48)
Meu amigo poeta Adhemar, que poema forte e contundente, fiquei contente e me senti cúmplice de suas palavras, como sempre precisas e realistas. Mais uma vez parabéns e obrigado pelos seus gentis comentários em meu espaço.
Paz e harmonia
Forte abraço
Caurosa

Comentário por Manhosa — domingo, 5 de abril de 2009 (22:27:24)
Querido Amigo do Coração
Quando crescer… vou escrevinhar assim também… igualzinha a ti…
Fizeste em coctel com todas as letrinhas… formaste poemas… escrevinhados… foste um mestre…
Fizeste todos os meus neurônios se perfilarem… abobados… pasmos… encaNTADOS…
Amei
Bjs.