domingo, 7 de junho de 2009

NOTORIEDADE

De repente me descubro acenando à esmo para tanta gente que me cumprimenta. Alguns acrescentam palavras de apoio e estímulo; outros se limitam a breves acenos aprovadores. Enlevado, deixo-me flutuar em frente, olhando para todos os lados e aquiescendo com as manifestações surpreendentes. Em meio a essa algazarra, me pego pensando: "por quê? O que foi que eu fiz de relevante - ou importante? Quem sou eu nesse contexto popular? Um babaca bem promovido? Ou um reles tolo apalermado e convencido?"

De repente me descubro subindo dentro do nevoeiro desse cenário. As pessoas se despedindo, se dispersando até sobrar só um - que nunca vejo. O meu mais ardoroso fã, meu seguidor incansável. Bate palmas, pede bis, aplaude tudo o que eu faço. Uma dúvida me abate: dispenso esse pobre palhaço? Não, muito pelo contrário; o encorajo e alimento. Dou-lhe abrigo, respaldo, incentivo, justifico-o, defendo-o. Afinal, esse fã leva o meu nome, o meu talento e o meu cansaço.

[Adhemar - Santo André, 05/09/2008]

Um comentário:

Adh2bs disse...

Comentário por Gaby — segunda-feira, 8 de junho de 2009 (14:11:47)
Olá
Nossa que saudade que estava daqui !!!
e tão gostoso quando sentimos que a alguem
que nós admira, isto normalmente e coisa de filho
que vê o pai como um super heroi eu tinha istó com
meu pai agora mais velha vejo que ele é um ser
humano comum mais mesmo assim com muitas qualidades.
Otimo texto !!!
Felicidades

Comentário por Manhosa — segunda-feira, 8 de junho de 2009 (19:54:53)
… saudades…
Sempre briguei muito com meu pai… era o meu herói… e ao mesmo tempo meu desafio… hoje sei o por que… risos… éramos iguais… xerox em tudo…
Ele já partiu a mais de 10 anos… mas nas horas de sufoco é com ele que falo… Meu Pai maior… e ele…
Mãe e pai são anjos em nossas vidas…
Obrigado por estares em minha vida…
Bjs.