segunda-feira, 3 de agosto de 2009

PALOMA (Colomba)

A pequena coisa branca abriu as asas, se molhou, se sacudiu e voou. Voou só um pouquinho, para saber se já podia. Voltou à fonte e ficou a olhar em volta. Saltitou, depois bebeu. Vislumbrou perigo nuns olhos felinos e mansos. Mansos demais.

Alçou-se mais acima e não parou, pois reptilmente a esperavam noutro galho. Então quedou-se muda e silenciosa, batendo as asas num ponto seguro do ar, acima da fonte.

Pressentiu apenas sob o imenso céu azul a intenção rapina de um ponto que crescia velozmente. Rapidamente decidiu-se num vôo mergulhado e ágil enquanto s esgueirava dos perigos. Foi quando viu os olhos inocentes lhe acenando. Infantil, pensou-se segura e aproximou-se. Mal deu tempo de identificar o estampido: apenas viu o lindo sorriso, sua última visão do mundo que sumia.

Ficou caída, toda branca e gotejada de vermelho, doce símbolo da paz.

[Adhemar - Aracaju, 28/01/1988]

3 comentários:

finityster disse...

Hoje, através do Quero que você leia, seu blog recebeu o selo MasterBlog. Não é necessário que poste o selo aqui, mas se quiser, basta ir lá conferir as regras.
Um abraço.

shintoni disse...

Adhemar:
Hoje seu blog foi indicado para o selo MasterBlog lá no Duelos Literários.
Se quiser publicá-lo aqui, é só conferir as regras lá no blog.
Abração e ótimo final de semana!

Adh2bs disse...

Comentário por Ylago — terça-feira, 4 de agosto de 2009 (12:38:37)
Gostei pra caramba!
É triste, mas analogicamente, algo real.
Grande abraço!