Pesquisar este blog

domingo, 13 de setembro de 2009

IRONIA

A poesia escapou.
Foi um momento de distração
e ela saiu pela janela:
voou.

Me deixou aqui sozinho,
papel nas mãos,
todo enguiçado em pensamentos dispersos,
desconexos.

Para piorar a situação ela voltou.
Mas só até a janela
de onde acenou sarcástica
e sumiu.

Integrou-se aos longes recantos de minha mente
que estão fora de mim.
Eram palavras bonitas que eu ja vi alguma vez?
Talvez.

Agora ela fica rondando sem aparecer
só para me perturbar,
como uma sombra quando queremos sol...
Desgosto.

Me levanto e tomo um copo d'água
como se a poesia pudesse flutuar ali.
Alijo dos meus pensamentos a pequena malvada.
Perversa.

Depois me arrependo: perversa não.
Não existe poesia perversa.
Existe por versos, para se divertirem,
diversas.

A poesia queria brincar de esconder,
pensei depois.
Mas como capta pensamentos, magoada comigo,
desapareceu.

Sei que foi se guardar nalgum recanto
do meu subconsciente tão confuso,
que o choro foi crescendo,
esticando...

Os versos curtos
se encompridaram
nesta queixa
perdoada.

A poesia perdoou o poeta
pelas suas instâncias
e foi dormir muito quieta
como mandam as circunstâncias.

[Adhemar - Aracaju, 28/01/1988]

4 comentários:

shintoni disse...

Adhemar:
Sua poesia Abandono já está na lista para publicação do dia 30/09, e seu nome já foi incluído na lista de participantes, com o link de seu blog.
Valeu mesmo!
Abração e ótima semana!

finityster disse...

Adhemar,
Adoro suas poesias.
Parabéns"!
Abraços,
Adir

Gregor Samsa disse...

"A beleza deste momento está na poesia de ficar em silêncio num mundo de sons emburrecedores, como quem cria nos ares de verão e dorme docemente com as janelas abertas num murmúrio leviano de dias ensolarados."
"Sons Emburrecedores",outono de 2008
Abraços,
Gregor

Adh2bs disse...

Comentário por Selma Barcellos — domingo, 13 de setembro de 2009 (21:06:42)
Adhemar, leio seus comentários na Tati e hoje resolvi passear por aqui. Surpresa. Li vários poemas seus. Gostei especialmente de “Ironia”. Sei bem o que é sair à cata da palavra alada…
Abraço.