segunda-feira, 7 de setembro de 2009

PASSOS

Não planejei estar aqui.
Não pedi para nascer.
Nunca soube o que ia ser
e agora estou aqui.

Na  multidão não me distingui.
Ponho o dedo no nariz.
Muito aos trancos sou feliz,
pouco ao mundo devolvi.

Quem mais eu quisera ver
foi quem mais me desiludiu:
- O que acha de poesia?
- Uma é bom, pouca é chato, muita um saco!

Chutei lata, estou aqui.
Pé na jaca, estou aqui.
Quedei-me surdo, teimoso,
a poesia está aqui.

Voltei às rimas enfim.
Muito ou pouco, eis o saber
das palavras que, ao escrever,
significam pra mim.

Estou aqui, graças a Deus.
Sei escrever (?), ainda bem.
Só não espero também
agradar aos olhos teus...

P/ a 1a. editora que me disse "não".
[Adhemar - São Paulo, 03/09/2004]

Mimado...

E convencido, fiquei chocado com a postura "comercial" da editora que nem quis orçar a edição de um livro de poesia (ainda que só para satisfazer meu ego - aliás - um "egão"). Ou seja, nem pagando...!

Adhemar, 07/09/2009.

2 comentários:

Marie disse...

A editora perdeu a chance de conhecer um grande poeta.
Eu adorei.=D
P.S: Obrigada pela visita e quanto a dica de no blog, nunca pensei em escrever um livro mas gostei da sua idéia.
Postei a 5 ª parte lá
até

Adh2bs disse...

Comentário por caurosa — segunda-feira, 7 de setembro de 2009 (14:58:15)
Meu caro amigo Adhemar, pois é, as pessoas sempre estão preocupadas com a pseudoqualidade. É por isso que estes editores mercantilistas não contribuem nem um pouco com o processo cultural do país, e, consequentemente não tem leitores.
Muita paz e harmonia para você,
forte abraço
Caurosa