quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Para saber...


Andava muito iludido
e consultei o coração
se não andava confundido
procurando confusão.

Ele calado: sim e não.
Mas não havia respondido
à delicada questão
de que estava escondido.

Mas ficou perturbado,
perdido no amor - paixão -
como se o tempo, escalado...

Precisou de uma lição
ficando desconsolado
e condenado à prisão...

[Adhemar - São Caetano do Sul, 12/05/2005]

2 comentários:

... disse...

Que lindo...
=*

Adh2bs disse...

Comment by Selma Barcellos — Monday, 26 de October de 2009 (20:24:57)
Delicado e preciso. Adorei... Quantas vezes por vida fica o coração condenado à prisão, à espera de que se prescreva a sentença. Ou que se escreva... poesia.