domingo, 15 de novembro de 2009

Botânica

Um viajante anônimo observa
o movimento vital numa paisagem.
O amor na natureza manifesta
uma época de típica estiagem.

O amor é como a flor, sem água seca,
'inda que da melhor terra se alimente;
mas se de tal cuidado não se cerca,
ele padece em sofrimento, está doente.

Enfim, em todo caso, haja coragem!
E, se a timidez o desalenta,
no dizer palavras ele enfrenta...

A pior ou qualquer tormenta da viagem;
e, se de uma centelha ele se incensa,
de uma grande emoção se recompensa!

[Adhemar - Cuiabá, 22/07/1987]

3 comentários:

uai, mundo? disse...

Sonetos são umas das mais belas expressões da poesia. O seu é algo entre o musical, o bucólico e o maravilhoso. Adorei! Paz e bem.

... disse...

estou aqui...
faz proesia até nos comentários...
lindo...

Adh2bs disse...

Comment by NBS — Thursday, 26 de November de 2009 (00:22:39)
Saudades daquela viagem, saudades daquela comemoração, saudades, saudades daquele que não está mais conosco. um abraço, obrigada