sábado, 21 de novembro de 2009

Fim do mundo

Sei fazer cerveja com água salgada;
já sou lacaio de muita gente,
um patrão só não seria diferente;
tenho medo de jacarés,
mas não dos que estão aos seus pés;
fluente em marcenaria...

Só que eu não iria,
não tomo cerveja quente
e seria uma teia de enganos.
Valeu, agradeço a oferta de emprego,
mas já tenho os meus próprios planos...

P/ Ninguém Envolvente (http://naoseenvolva.blogspot.com/2009/11/2012)
[Adhemar - São Paulo, 21/11/2009]

3 comentários:

uai, mundo? disse...

Eu aprecio demais essa poesia que parece falar com a gente. Há uma espécie de diálogo do poeta com o leitor, num rasgo de expressão forte, intensa. Isso é um extase para mim. Adorei esses poemas todos. Grande abralço . Paz e bem.

... disse...

adorei!
saudações.

Adh2bs disse...

Comment by Laiz Mara — Tuesday, 24 de November de 2009 (17:43:20)
adorei! Saudações!

Comment by Selma Barcellos — Tuesday, 24 de November de 2009 (17:52:46)
Meu poeta querido, sua sensibilidade me encanta, sabia? Raro você. Como vai a sua Cascais? A minha vai linda, linda. Passe lá. Beijocas.