quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Garoa

Uma chuva fina e contínua se derrama.
Alguém reclama.
Tantos pensamentos molhados,
umidecidos, mofados,
numa interação com ventos frios,
alguém enregelado.

Uma chuva fina e contínua,
olhos arregalados,
como se coubesse um pouco mais de espanto.
Tantos pensamentos molhados,
falsos objetivos,
um calor necessário e desejado.

Uma chuva fina e contínua
de pensamentos afobados.
Alguém reclama
sem conseguir segurar os destinos,
uma sorte que se trama.
Um pensamento centrado,
chuva fria de adeus,
menos um drama.

[Adhemar - Ibiúna, 27/10/2009]

Um comentário:

... disse...

é uma música do Paulinho da viola. Mas quem fez foi Paulo César Pinheiro...
e essa garoa?
=*