Pesquisar este blog

sábado, 12 de dezembro de 2009

Meio de Minas

Ribeirão Vermelho, Perdões; Santana do Jacaré, Campo Belo. Santo Antonio do Amparo, Lavras, São João del Rey. Tiradentes, Prados, Itumirim. Tabocas, Conceição da Serra, Morro do Ferro.

Eita, trem bão sô!

Tanta história incutida, tanta riqueza lavrada. Arte Sacra, barrôca, arquitetura colonial. Sítios chácaras e fazendas, cavalos, gado, cafezais. Os horizontes estendidos - longe. O sol reavivando o verde das matas. Os pássaros cantando e o tempo, simplesmente passando.

Pode parecer meio piegas ou puramente banal. Mas é um novo contato com a vida, com brasileiros falando português corretamente e zelando, de certa forma, por tradições e pela história. Fora uns abnegados que a gente encontra por aqui, resgatando práticas de integração e respeito à natureza, produzindo coisas tão boas que uma porção de estrangeiros - de todo o mundo - admira e faz questão de comprar aqui. Muita capacidade, muita diligência e um baita sossego ao fazer, gostando de fazer e achando tempo de receber acolhendo os embasbacados turistas dos grandes centros urbanos ditos "civilizados"...

Por aqui faz sentido a frase "o Brasil não conhece o Brasil"; e pior, os brasileiros não conhecem os brasileiros...!

[Adhemar - Santo Antonio do Amparo, 14/07/2006]

Caminhos

Parece que foi ontem que estivemos nessa região do interiorzão de Minas Gerais. Quão gostoso é ouvir a língua pátria ser falada devagar, todas as letras de cada palavra sendo pronunciadas! Não só porisso mas é bom que se diga, este país tem jeito! Há muita gente que vive na simplicidade do lidar com a terra, aliada às novas tendências do "ecologicamente correto", "alimentação natureba" e outras bossas. A diferença é que fazem isso a séculos, sem precisar "aprender" na televisão; esses modismos de hoje foram inventados por quem passou lá, achou o óbvio bacana e resolveu adotar como "way of life" nos grandes centros - pra faturar algum em cima, é claro.

Não sou daqueles que acha que a solução pro mundo é a gente voltar pras cavernas. Mas que precisamos simplificar nossas vidas... Ah, precisamos!

Adhemar - 12/12/2009.

2 comentários:

Lumenamena disse...

A solução para o mundo, amigo, é pôr toda a gente a pensar, raciocinar, e não dizer: voltar para as cavernas, dizes e bem.
O mundo precisa mudar. Mas,começa com uma pessoa de cada vez. Com cada um de nós. Quando alguém olha para dentro de si mesmo.

Um Abraço
Lumena

Adh2bs disse...

Comment by Manhosa — Saturday, 12 de December de 2009 (17:05:47)
Querido Amigo do Coração Mais de 3 anos... Se escrevesse hoje este teu comentário não teria uma virgula para mudar... ... risos... muito poucos brasileiros... dos que se dizem viajados... conhecem 25% deste nosso belo 'Brasilzão'... Bjs.

Comment by Selma Barcellos — Monday, 14 de December de 2009 (21:23:45)
Querido, falar sobre Minas numa hora dessas é cobardia (como dizem por cá). Saudade, saudade, saudade... Baixou o Pessoa. Passe no meu espaço. Beijocas, beijocas.