Pesquisar este blog

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Chuva de sal


A ausência do mesmo pensamento
me fez ver que não havia sol.
O frio e a tristeza matinais
condiziam com a ausência maior.

Quando o sol resolveu aparecer,
a saudade era maior.
Ligados ao pensamento,
o sol, você e o desaparecimento.

A memória nublada de lágrimas.

* * *

O coração vai ocupado
rumo ao sul do equador.
Onde pelo sol for alcançado
estará alimentado de amor.

O tempo vai ficar nublado
e as rimas em desvalor.
Ainda assim orientado,
o acompanhará o calor.

Calor mais que interiorizado
e que cauteriza uma dor.
O coração que se julgava experiente...

Pois de outra feita foi martirizado,
transformou-se num ótimo cantor;
e assim tranquilo, ao teu lado vai contente...

P/ BSF
[Adhemar - São Paulo, 02/08/1987]

2 comentários:

busquesantidade disse...

Nãi sei de onde tirei que você talvez fosse alguém que trabalhasse com aviões. Piloto, ou qualquer coisa relacionada com isto. Talvez por ter visto a foto do avião, daí me confundi toda. Voce não tem nada a ver com esta profissão, né mesmo? Errei... rsrsrs... Abraço fraterno. Lourdes Dias.

Adh2bs disse...

Comentário por Selma Barcellos — quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010 (19:13:44)
Adh, o coração jamais fica experiente, né? Ainda bem.
Beijocas cauterizadas pelos 42º daqui. E essa chuva aí que não passa?