Pesquisar este blog

domingo, 21 de fevereiro de 2010

DYB


Por estes dias estou encerrando um ciclo; despeço-me de um amigo silencioso e econômico que me acompanhou aonde inventei de ir nesses três últimos anos. Aliás, me carregou. Não reclamou, não pediu mais do que um pouco de alimento - de quando em quando. Ingrato que sou, deixei nele alguns arranhões, um hematoma, além de uns esforços desnecessários - ainda que esporádicos - resultantes do meu mau humor eventual. Na sua infinita (?) compreensão de coisa - sabe que não sou apegado a objetos - prepara-se para missões talvez bem mais úteis do que me transportar. Além disso, sua passagem para outro companheiro de jornadas se presta a um propósito maior na vida deste seu primeiro dono: se livrar de um carnê com vinte e quatro páginas a vencer ainda e guardar a diferença dessas economias advindas de sua venda para empregar num projeto particular próximo.

Sim, pessoal, vendi um amigo por uns dinheiros aí. "Uno amigo que vale por Mille".

[Adhemar - 05/02/2010]

FIAT cinza

Para a multinacional italiana, esta vai de graça...

Realmente acho que os objetos estão aí para serem usados; passado o tempo em que precisamos deles, "adieu". Confesso que gosto do carrinho comprado novo em 2007, realmente silencioso, econômico, disciplinado (?!)... E bonitinho! Vai agora conduzir outras pessoas por outros caminhos; espero que fiquem satisfeitas como fiquei. Doravante, pelo menos até maio, este modesto (pfff!) escriba se locomoverá sobre os próprios pés, de ônibus, metrô - quiçá táxis - aviões e trens. Gôndolas? Acho que não.

Adhemar, 05/02/2010.

3 comentários:

busquesantidade disse...

Qui bom Adhemar! Não sei se é fácil andar à pé, aí onde você mora, mas que é saudável isso eu sei. Qui bom (kibon) rsrsrs... que você se decidiu por isto, vai ficar em forma, viu? Procure caminhar, para os escribas faz um bem danado, areja a cabeça. rsrsr... Ficamos um pouco confusos, mas depois de um tempo tudo entra nos devidos lugares, inclusive os pininhos. rsrrs... Abraço. Lourdes.

Cacá disse...

Eu não vendi meu corsinha não, mas tenho preferido andar à pé, de ônibus e principalmente de bicicleta. Esta me ganhou de vez. Abraço , amigo. Paz e bem.

Adh2bs disse...

COMENTÁRIOS NO OUTRO BLOG:

Comentário por Selma Barcellos — segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010 (16:10:38)
Querido poeta, esse carro está impregnado da sensibilidade e da energia positiva do ex-dono… Elas vão circular por aí, em ciclo ininterrupto. Você deveria ter pedido um pouco mais por ele, sabia?
Seus projetos darão certo. Já consultei os astros.
Se você morasse na Califórnia, na Espanha e coisa e tal, iria andar de bike, amarradão, mochila básica às costas, poluição zero, segurança, respeito. Enfim.
Beijocas da leitora amiga.

Comentário por gaby — terça-feira, 23 de fevereiro de 2010 (17:51:49)
espero que vc conquiste seus projetos e bens
materiais sempre dizemos que não nós apegamos
acredito que realmente não nos apegamos a eles
e sim aos momentos em que passamos dentro deles
viagens, passeios mais istó guardamos tambbem lá dentro
da memoria e dos sentimentos bons né;
e caminhar e otimo elimina o stress!!!!
Boa sorte para você.

Comentário por Tatiana — sábado, 27 de fevereiro de 2010 (16:37:59)
Já sei: você é um dos candidatos a trafegar pela ciclovia construída às margens do rio Pinheiros!