Pesquisar este blog

quarta-feira, 31 de março de 2010

Amores


Meu primeiro amor foi Célia.
Tão bonita e fascinante...
Porém era mais velha
Me decepcionou por ser fumante.

Meu segundo amor – Marcela –
Que de tão platônico pereceu,
Era muito superior, tão bela,
Que a este admirador nem percebeu!

Bem mais tarde, Ana Paola foi paixão.
Dessas terríveis, avassaladora.
Até hoje, em meu coração,
Esse sentimento ainda ecoa.

Outra ilusão desse tempo – Iracema –
Era musa atraente e sedutora.
No entanto, um obstáculo, um problema:
De uma legião de fãs era pastora.

A seguir surgiu-me Lígia
Pra me socorrer numa tristeza;
Mas ao perceber-me já fugia,
Pois era eu plebeu, ela princesa.

O meu amor maduro foi Monique,
O que na mocidade mais durou.
Porém, malgrado meu, era tão chique,
Que de mim um dia se cansou.

Então, Cláudia surgiu e surpreendeu,
Apanhando-me desprevenido e sem jeito.
Mas meu coração não respondeu
Fugindo desse afeto com respeito.

Em Ilhéus, a noiva de um fazendeiro,
– Também Cláudia, com todas as letras –
Foi como incursão num picadeiro
E ensinou-me a andar sem as muletas.

Num entretempo, outra Monique conheci,
Vinda dos confins de Mato Grosso.
Tão bacana e tão cheia de si...
Mas era tão menina e eu já moço...

Enfeitiçou-me a seguir a Bernardete
Estabelecendo um condomínio.
Mas era apenas uma professora breve
Transformando o poeta em peregrino.

Elaine Cristina então a sucedeu
Tão linda e luminosa que nem sei.
O papel de príncipe me deu,
Mas ela precisava era de um rei.

E ao final de todo esse aprendizado
Veio Stella, linda e firme se instalou.
O grande amor do homem já formado,
Grande mulher que ao homem completou.

Um imenso e verdadeiro desafio
Para toda a vida se tornou.
Passou pela paixão, pelo calor e pelo frio,
E que docemente triunfou.

Mais que amor, uma profissão de fé.
Mais que amor, a tranqüila confiança.
Mais que amor, é um grande lar em pé.
Mais que amor, somos nós e três crianças...

Enviado ao blog Duelos Literários p/ o tema de março/2010
P/ SM

[Adhemar - São Paulo, 11/03/2006]

5 comentários:

LUmeNA disse...

Adhemar!

Liiiiindoo, poema!

Quantos amores! Todas elas te surtiram um belíssimo desafio.

"Mais que amor, somos nós e três crianças..."

Um lar docemente unido, um grande Céu na Terra, onde o Amor é para todos.

Parabéns!

Um Grande Abraço,
LUmeNA

Wanderley Elian Lima disse...

Como tudo na vida, o amor também é exercitando que se aprende. Todas as experiências são válidas para o crescimento afetivo até se chegar ao amor verdadeiro.
Abração

C@urosa disse...

Olá meu bom amigo poeta Adhemar, que bom podermos lembrar dos amores. Marcam a vida e a alma, muito bom!parabéns.

Paz, harmonia e uma santa páscoa,

forte abraço

C@urosa

Cacau Loureiro disse...

Quem não é impertinente meu caro?1 rs, uma ótima Páscoa para ti, que o sacrifício do Cristo possa dizer algo em nós, beijo, beijo!

finityster disse...

lindíssimo poema.
tantos amores, para a certeza do último.
assim é a vida!
parabéns, adhemar!
jorge