Pesquisar este blog

domingo, 7 de março de 2010

REVERÊNCIA


Sua ousadia, ou melhor será dizer - atrevimento - atemoriza e intimida. Sua presença introduz uma pressão natural ao ambiente, eletricidade, tensão. Sua imobilidade causa uma aflita expectativa; seu movimento causa uma enorme comoção. O seu silêncio é angustiante; suas palavras, perturbação.

Enigmática como a esfinge, linda como a emoção. Emblemática, simbólica, misteriosa. Atenta, aquilina, consciente do pleno domínio que tem sobre o ambiente e os circunstantes. Despótica rainha salomonicamente justa! Atrai tanta atenção que, por ser muito observada, deixa passar umas sensações: quando um súbito brilho lhe perpassa os olhos e um canto de sorriso se esboça; o movimento de arfar o busto nas fendas inebriantes do decote; e até o balançar impaciente de uma linda perna a bater o pé de ansiedade... A espera de matar a fome devorando mais um homem, seja um fiel súdito ou um devotado escravo...

[Adhemar - São Paulo, 18/11/2009]

Referência

Ano passado, em manifestação sobre o dia da internacional da mulher (que, este ano, cai amanhã!) fui espinafrado por várias. Tem nada não, sigo com a mesma opinião de sempre: são úteis, práticas e decorativas! Queridas, é brincadeiraaaaaaaaaaaaaaaa...!
Bjão,

Adhemar, 07/03/2010.

Um comentário:

Adh2bs disse...

TRANSPOSTO DO BLOG ORIGINAL;

Comentário por Selma Barcellos — domingo, 7 de março de 2010 (18:41:48)
Bela e inspirada descrição prefaciando a brincadeira.
Aliás, por sua sensibilidade, poeta, nem precisava avisar que é brincadeira.
Acabo de ler uma conhecida escritora dizendo se achar complicada, excessiva e hormonal… Vamos combinar, não?
Beijocas da Selma.