domingo, 18 de julho de 2010

ARGOLA e ANTAGONISMO

Sigo imerso num naufrágio de palavras.
Naufrágio, nau frágil.
Palavras as vezes vazias de sentido
revelando uma inesperada solidão.
Uma apressada angústia
se perde com o olhar no horizonte
de poeira e mar.
Mediterraneamente no espaço,
a contemplar o azul vazio.
Azul vadio...
Sonhando apenas o possível
na impossibilidade de viver uma ilusão.
Sentindo a enorme pressão
de ser apenas um grão
neste universo de fantasia
formado pelo que realmente somos
diante do que queremos parecer.

Pressa e pungência.
Uma vontade imensa de ficar,
uma vontade maior de voltar.

[Adhemar - Algum lugar sobre o Mediterrâneo, 20/04/2010]























Demolição em Madrid - fachada mantida!
(foto: adh2bs)























Demolição em Madrid - fachada mantida!
(foto: adh2bs)

Um comentário:

Adh2bs disse...

Comentário por José Cláudio (Cacá) — segunda-feira, 19 de julho de 2010 (05:53:21)
Você se deu muito bem no mergulho em meio às palavras naufragadas. Cionstrui um amparo feito de versos e saiu remando à tona, com destreza de bom poeta. Abração. paz e bem.

Comentário por José Cláudio (Cacá) — segunda-feira, 19 de julho de 2010 (05:54:22)
* Construiu um amparo… (correção)

Comentário por Selma Barcellos — segunda-feira, 19 de julho de 2010 (21:04:38)
Lindo, lindo, lindo! Inspiradíssimo.
Beijocas.