Pesquisar este blog

sábado, 17 de julho de 2010

PARAGENS


Horizonte perdido pela imagem próxima.
Foram tantos movimentos
que entramos numa contramão de vento.
Racionalizar,
eis o mistério da questão,
enquanto uma música ao fundo
tenta dizer alguma coisa ao coração.

[Adhemar - Roma, 20/04/2010]

Rampa de acesso a uma galeria de arte na Tortona - Milão (foto:  SM)
Rampa de acesso a uma galeria de arte na Tortona - Milão (foto: SM)
Verona - a caminho de Veneza (foto: SM)
Verona (talvez...) - a caminho de Veneza (foto: SM)
Museu do Prado - Madrid (foto: SM)
Museu do Prado - Madrid (foto: SM)

2 comentários:

Marliborges disse...

Puxa vida, que certeiro! Também aqui tenho que tirar o chapéu. Esse tipo de percepção realmente me encanta. E comove. Parabéns.
Bjsssssss

Adh2bs disse...

Comentário por Selma Barcellos — terça-feira, 27 de julho de 2010 (15:15:37)
Gostei demais do poema. Diz tanto em poucos versos…
Beijocas.