Pesquisar este blog

domingo, 25 de julho de 2010

UNIVERSO EM CONSTRUÇÃO

Criados na razão dos sentimentos puros,
despojados da inconsequencia natural da idade
estamos juntos na aventura nova
que é viver da união a plenitude
e sentir, na separação, tanta saudade.

Fazes falta, tua ausência me comove.
A importância que tens no meu coração
é como um rio que rumo ao mar escorre,
sem escolher o seu destino ou razão.

Criado na doçura da tua voz,
o sentimento pelo peito ainda ecoa
enquanto senta e, sentado fica à toa,
olhando o céu a procurar estrelas e à lua.

Moradora permanente na constelação astral,
qual Três Marias, Ursa Maior ou o Cruzeiro,
Estrela Vésper, fez da luz o seu caminho natural,
despontando mais que todas no além-mar.

Fixada na razão e na emoção,
sentimento nascido imortal,
abre os braços, enxuga a lágrima final;
para, em cada verso de saudade, despertar...

P/ SM
[Adhemar - São Paulo, 25/02/1989]

4 comentários:

C@urosa disse...

Olá meu caro amigo poeta Adhemar, que belo e reflexivo poema, eu espero que o homem não invada esse universo em construção, senão teremos muita destruição...

forte abraço

C@urosa

LUmeNA disse...

Lindíssimo poema.

O universo é como um caleidoscópio que se decompõe em milhares de cores e formas.

Abraços,
Lumena

CARLA FABIANE... disse...

uma linda semana!

Adh2bs disse...

Comentário por José Cláudio (Cacá) — domingo, 25 de julho de 2010 (16:35:09)
Que saudade mais gostosa! O duro é quando o amor da gente foi-se pra não voltar mais. Aqui é apenas prato cheio para fazer poesia bonita, emocionante! Abraços. Paz e bem.

Comentário por Selma Barcellos — terça-feira, 27 de julho de 2010 (15:19:56)
José Cláudio disse tudo. Assino, se ele me permitir.
Beijocas.