Pesquisar este blog

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

ADRENALINA

Ela está distante,
vive seu mundo;
indiferente ao efeito do encanto
que espalhou,
com casca e tudo.

Ela está interessante,
uma manequim de vitrine.
Altiva, linda, inconstante,
alheia aos olhares,
nada que ensine.

Ela é insinuante.
Mas é cercada e furtiva.
Viva, fugaz, apaixonante,
desprezando as paixões
e os corações que cativa.

Ela segue adiante,
audaciosa e mordaz.
Ignora seu fã clube,
seus admiradores contumazes
e os escravos que deixa pra trás.

Ela é fascinante,
naturalmente perigosa.
Fria, calculista e cortante,
derruba os próprios algozes
forte, suada e fogosa.

Ela é impressionante,
determinada e poderosa.
Firme, precisa e atuante,
mesmo usando cor-de-rosa
ou um vermelho vibrante.

Se não for um produto da mídia
é de uma paixão alucinante.

[Adhemar - São Paulo, 18/05/2010]

Um comentário:

M. Sueli Gallacci disse...

Nooossaaaaaaa, mas que mulher é essa, meu Deus!!! Existe? rsrs

Tá lindo o poema para essa mulher tão... tão... improvável! rsrs

Bjo gde.