domingo, 7 de novembro de 2010

Centenário

Estivesse entre nós,
faria cem anos.
Foi um gênio, foi feliz.
Deu exemplos, mangas, panos,
simplesmente, Vô Luiz.

Benevolente, tolerante,
muito juntos andamos.
Trabalhou sempre honestamente
o quanto quis;
sempre alegre, líder, soberano:
simplesmente Vô Luiz.

Bem humorado, atento, inteligente,
ativo, livre e protetor.
Solidário, acolhedor, hospitaleiro,
um gentleman, como se diz.
Conselheiro, um homem verdadeiro,
simplesmente Vô Luiz.

E eu aqui, "canalhamente te usando",
como tema nesta homenagem dos cem anos,
te agradecendo tantas coisas que aprendi
- inclusive que não somos um ovo, somos humanos -
com o inesqucível Vô Luiz.

[Adhemar - São Paulo, 06/11/2010]

100 ANOS!!!

Ao meu avô por parte de mãe, pessoa ímpar neste mundão de Deus, cuja principal lição que nos legou, talvez, seja que não somos seres exclusivos, solitários, mas talhados para viver em sociedade já que nos originamos de pelo menos dois! Nunca se furtou de se expor para dividir (e não para se mostrar...), transmitindo sua experiência e sua alegria inclusive a quem não sabia o que é isso. E tivemos, nesta família, o imenso privilégio de uma longa convivência. Um grande abraço ao nosso guru, onde quer que esteja, recheado desta saudade apenas ligeiramente melancólica...

Adhemar - 07/11/2010

PS - Por sinal que hoje é aniversário de outra grande figura desta família... Citado nesta data em 2009, vale relembrar, cliquem nov/09 no link ao lado! O ano de 2010 é particularmente interessante porque muita gente aqui atingiu cifras redondas, tais como 65, 15, 60, 10, 20, 55... Só pra ficar em alguns. A todos um grande abraço e mais cem, mais cem, mais cem!

2 comentários:

finityster disse...

Parabéns Adhemar por ter tido um Vô Luiz.
De onde estiver, por certo, também estará orgulhoso dos seus frutos nessa Terra.
Abraços e parabéns também pela linda homenagem.
abraços,
Adir e Jorge

Adh2bs disse...

Do Arq&Poe:Lit.terra:

Comentário por josé cláudio - Cacá — terça-feira, 9 de novembro de 2010 (14:45:33)
Que homenagem bonita, Adhemar. E ainda coincide com o aniversário de minha filhota mais nova. Paz eterna ao Vô Luiz. Abração.

Comentário por Selma Barcellos — quarta-feira, 10 de novembro de 2010 (15:44:45)
Ah, esses vôs sensacionais que nos deixam verdadeiras tatuagens…
Carinho, Adh!