Pesquisar este blog

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Suborno

Quero comprar minha própria consciência - quero justificar o que às vezes acho errado porque não me parece tão errado assim; só humano! Quero me esconder atrás de justificativas plausíveis, todas aceitáveis, mas... Paralisantes demais. Preciso mobilizar toda a minha inteligência e uma suposta sensibilidade para deixar tudo como está; na paz aparentemente serena da superfície do oceano em ebulição. Ainda que certas emoções queiram se impor e todo esforço possível é feito para que se aquietem. Sentimentos que hibernavam desde um passado distante querendo apimentar o já salgado "menu" dos dias atuais. E as palavras antes fáceis na defesa de ideais românticos, sedentários, já não servem senão para insuflar esse balão tão lindo - e tão colorido - que nos convida para uma volta pelo ar, sem conhecimento do trajeto, sem perspectiva de voltar.

Preciso, urgentemente, resgatar ou vender a minha própria consciência.

[Adhemar - São Paulo, 08/12/2009]

2 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

Olá menino
Resgatar a consciência, às vezes é fundamental, para que não nos percamos no caminho.
Bjux

Adh2bs disse...

Comentário por jose cláudio - Cacá — terça-feira, 23 de novembro de 2010 (17:30:35)
Quanto menos ressonância se acha para as inquietações mais a consciência fervilha , numa ebulição de moléculas desorientadas. Dizem que o pensamento não é matéria, então pergunto: por que as inquietações pesam tanto? Abraços, meu amigo! Paz e bem.