segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Desilusórias

Ah! Horas tolas isolando a história;
ações cretinas
desonrando a memória
de bobagens repentinas!

Bobagens... Repetidas...
Tolices e fuligem
encobrindo sete vidas
de pesadelo e vertigem.

O tempo desempregado,
arraigado a futilidades,
esnobismo exacerbado
e malvadezas disfarçadas de bondades.

Ah! Horas insanas e mortais,
assassinando filosofias renascidas,
envenenando-as com poções fatais
em tramas muito mal resolvidas...

Idiotices e disparates normais
ante uma vida feita de momentos,
dedicada aos fatos mais banais
e aos tormentos.

Alma desregrada,
nunca aflita...
Face mascarada
e a fé desacredita...

Ah! Horas largadas e boçais,
vida dedicada ao inútil
e ao fastio de não querer mais
o impalpável, inconsútil...

Ah! Horas entregues e finais...
De um saber só de besteira
e baboseiras imorais
preenchendo de mancadas uma existência inteira...

[Adhemar - São Paulo, 21/01/2010]

Um comentário:

Adh2bs disse...

Do outro blog:

Comentário por josé cláudio - Cacá — terça-feira, 4 de janeiro de 2011 (09:16:56)
O tempo é inclemente e inexorável diante da sua própria negação. Bonito demais, meu amigo! Abração. Paz e bem.negação

Comentário por josé cláudio - Cacá — terça-feira, 4 de janeiro de 2011 (09:18:03)
P.S: saiu uma “negaçao” fora do lugar. rsrs. Desculpe aí.