Pesquisar este blog

domingo, 10 de abril de 2011

Velhas impressões

Olhar atentamente em volta - em qualquer lugar - para reforçar os próprios conceitos. Idéias arraigadas, princípios antigos a se confirmar por observações. Por exemplo, a passionalidade das paixões. Por exemplo, a repetição de comportamentos; diferentes culturas, mesmas atitudes... Homens e mulheres, pobres, remediados e ricos, executivos, tecnocratas, artistas; motoristas, garçons, profissionais liberais, ou ladrões... E, vagabundos de plantão.


Em qualquer lugar do mundo estarão sempre a confirmar nossas velhas impressões.


[Adhemar - Buenos Aires, 09/01/2011]



Museu de Arte Decorativa - entrada - Buenos Aires (foto: SM)










Museu de Arte Decorativa - (foto: SM)Arco-íris - Recoleta, Buenos Aires (foto: AB)




Impressões coloridas


Um dos maiores, mais belos e duradouros arco-íris que já vi na vida. Momento raro: visitamos o "Buenos Aires Art e Design", na saída nos deparamos com o belo espetáculo desse arco-íris incrível. Entramos no Centro Cultural Recoleta, logo ao lado e, ao sairmos, lá estava o imponente arco-íris nos aguardando. Sem cansar de contemplá-lo, entramos na Igreja Nossa Senhora del Pilar (todas essas edificações são contíguas); e não é que o show não havia acabado? Tiramos inúmeras fotos, sendo as primeiras mais de uma hora antes das últimas! Quando resolvemos ir embora, ele ainda estava esmaecendo no céu nublado de um final de tarde inesquecível. Talvez seja exagero tanto entusiasmo diante de um arco-íris; mas é uma manifestação tão bonita da natureza que não podia deixar de registrar quão marcante foi pra gente, em circusntâncias especiais que podem tê-lo feito parecer maior do que realmente foi...


Adhemar, 10 de abril, 2011

2 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

É um privilégio ver um céu adornado com um arco- íris tão belo e duradouro.
Grande abraço

Adh2bs disse...

Do outro blog:

Comentário por josé cláudio - Cacá — segunda-feira, 11 de abril de 2011 (16:30:43)
Isso (o poema)é um eco do demasiadamente humano do qual Niesztche falou? Aqui , ali e alhures somos todos personagens de uma gigantesca balbúrdia adoravelmente humana.
E esse momento arco-iris, ai, hein? Uma maravilha inesquecível, de fato.
Obrigado , obrigado mesmo pelo livro e especialmente pelos versos dedicatóriso que deixou lá para mim. Copiei e juntei aos meus guardados mais significativos.
Abração, Adhemar. Paz e bem.

Comentário por Selma Barcellos — segunda-feira, 18 de abril de 2011 (16:39:58)
Poeta, você merece a visão de tantos arco-íris… Ser iluminado…
Beijocas.

Comentário por Manhosa — quinta-feira, 21 de abril de 2011 (17:55:24)
Nestas horas que a beleza da natureza mexe com nosso coração… nos aproxima ainda mais de Deus…
Bjs.