Pesquisar este blog

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Desaparição

Um mágico perverso,
um truque besta:
estalar os dedos,
balançar a capa
e sumir do mapa.

No chão, a cartola vazia.
Jogada, vadia,
sob a qual não há mais nada;
nem mesmo uma bravata,
sequer o nó da gravata...

Coelhos e pombos em fuga,
lenços de cor pelo chão.
A bengala abandonada,
a cartola amassada,
o número sem conclusão.

Até que o público vá embora,
exausto, intrigado, inibido.
Lá dentro, muito cansado,
num canto qualquer do circo,
suspira o mágico escondido.

[Adhemar - São Paulo, 06/10/2010]

2 comentários:

Bia Franco disse...

Caro amigo!

Vc é bom em decifrar histórias!

Acabo de publicar mais um capítulo.

Grande abraço! Bom te ver de volta!

Jéssy disse...

Muito, muito bom!
me fez lembrar da minha infância e das inúmeras vezes em que me perguntava o porque de os mágicos da tv sumirem, já que nos circos que eu ia ninguém sumia, as vezes eu ficava revoltada com isso.
xD bomteler