Pesquisar este blog

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

OI

Bom dia, bons dias
apesar da chuva fria.

Boa tarde, boas tardes
apesar do sol que arde.

Boa noite, boas noites
apesar do vento, o açoite...

Releve esta introdução,
excêntrica ou pedante
que não tem a intenção
de parar ou ir adiante.

Observe que apresentamos
os problemas com tudo junto
para que tempo não percamos
indo direto ao assunto.

Respeitosamente pedimos
com muita consideração
que leve em conta que abrimos
o nosso coração.

Em versos idos e vindos
pela porta que adentramos
trazendo os momentos lindos
que passamos.

Se mudam tamanhos, a métrica,
se muda o assunto, disperso,
ligamos a corrente elétrica
que volta a organizar o verso.

Por que é que aqui viemos?
Para lhe dar o prazer
de estar onde estivermos
e nos dar a conhecer.

Analise o documentos, o currículo;
mesmo criterioso e exigente,
um folhetim em fascículo
é a história da gente.

E o aqui ora presente,
depois de tanta prosápia,
sutilmente pressente
que será corrido a tapa.

Espero, até constrangido,
não ter estes versos ao vento;
e que tendo se divertido
não tenhas perdido tempo...

[Adhemar - São Paulo, 11/11/2004]

Ui

Este troço só está aqui por que foi escrito num 11/11. Não gosto deste texto, não sei porque o escrevi, não sei porque não tentei melhorá-lo. Desculpem.

Adhemar - temperamental! Em 11/11/2011.



Um comentário:

Cacá - José Cláudio disse...

Releve a angústia, amigo
que isso é bom demais
diverte e dá abrigo
ao humor que tanto apraz.

Abração, adhemar. Paz e bem.