Pesquisar este blog

domingo, 25 de dezembro de 2011

Natal da Vó Júlia

Bichos saídos da casca. Louvores.
Saber da chuva só de olhar o céu.
Saber das plantas e conversar com elas.
Saber das crianças e todas as suas fases.
Conhecer o marido, as filhas, todos os netos. Os bisnetos. A tataraneta.
Louvores.
Os panetones feitos à mão,
o macarrão com nozes.
O arranjo de frutas.
Saber fazer das dificuldades uma alegria determinada.
Ensinar e aprender.
Montar o presépio, a árvore,
esperar de presente a genuína alegria das crianças -
bichos saídos da casca.
Lapidar uma jóia chamada família e agregá-la em torno de si até o último momento,
até o último suspiro;
fazer todos nós passarmos o último natal em torno dela
- como em todos os outros até então.
Um símbolo que se despediu mesmo na véspera de sua festa predileta.
Vai encontrar outros entes queridos já perdidos nessa outra esfera indecifrável,
certamente no paraíso;
próxima ao Deus pai.
Mãe, Vó, Tia, Bisa...

P/ Júlia Iandoli de Oliveira Braga (02/11/1914 - 24/12/2011)
[Adhemar - São Paulo, 25/12/2011]

Vó Júlia e Vô Luiz - Reveillon 2000-2001


2 comentários:

Adélia disse...

Verdadeiro símbolo da sabedoria em pessoa.
Mãos que acalentaram, aliviaram, alimentaram, se entregaram e também receberam...
Suspiro que ficou registrado, suspiro de vida, de ensinamento de que a verdadeira jóia é a convivência, é agregação, é união...
Em outras esferas com certeza terá reencontros e sorrisos estarão abertos, portanto que todos fiquem na paz de Jesus e no amor sempre de Deus.

REARTEsanato disse...

Maravilhosa!!!
Realmente Vò é algo indefinível para quem não conheceu ,só quem viveu junto é que sabe descrevê-la.
É isso aí ,ficam as lembranças maravilhosas daquela que tanto amamos.
Bjss e que Deus abençoe toda essa família ,nesse e no outro plano!!
Renata