sábado, 18 de fevereiro de 2012

PROCURA-SE

A planta morre.
E realimenta a semente
que a faz ressuscitar numa nova planta;
Amores morrem
e a melancolia de sua perda
abre o coração pra novos amores,
ou paixões.
E como diriam os poetas maiores,
morre o dia, deita o sol
para gestar na noite o novo dia
que nascerá no amanhã
enternecido pelas luzes da aurora…

Poeta!
Exagere se preciso for
porque nunca será exagero
os excessos em nome do amor…

Eu pensei que o que era verdade era verdade;
mas me atrapalhei.
Na verdade era feliz,
mas não quis,
mas não quis…

P/ Ylago (blog do Ylago)
[Adhemar - 16/02/2009]

Os poetas a procura de si mesmos!

Os dois primeiros trechos são comentários que fiz no blog do Ylago em outubro/2008. O terceiro é uma evocação (?) escrita em 02/04/2001 que tem a ver com um momento de reflexão: “escrever ou não escrever…?” Achei que tinha afinidade com o assunto. Aí está.

Adhemar, 16/02/2009.

Arquivado em: Poesia I Comentários (3)

Um comentário:

Adh2bs disse...

colocado no blog original, em 16/02/2009, comentários da época no link ao final do "post".