Pesquisar este blog

sábado, 3 de março de 2012

E...

Se disseres sim, creio que sobrevivo.
Se sentires sim, é como nascer de novo.
Se descobrires em ti um sim, será para a vida toda.
Se fores um sim, serei sempre assim como sou.

Se disseres não, não te esquecerei.
Se sentires não, já não acreditarei em mim.
Se fores um não,  não serei um sim.

Jogo de palavras, jogo de sentimentos.
Mas o que és para mim não se alterará,
sejas não ou sim.
Moras num lugar de onde não vais mais sair.
Mesmo que um nunca mais se instale entre nós.

Pedra inabalável,
cerne imutável.
Me marcou pra sempre;
sou porque tu és.

P/ BSF
[Adhemar - São Paulo, 09/09/1987]

4 comentários:

Tainá Silva disse...

Olá Adhemar!!
Sempre muito bom te ver no meu blog! Apesar de não comentar, sempre que posso dou uma passadinha aqui só pra constar que o nível do seu blog está sempre muito bom!
Obrigada pelas visitas e muito mais pelos comentários construtivos!!
Grande abraço
Boa semana

Bia Franco disse...

Olá Adhemar!

Publiquei mais um capítulo do livro. Grata pelas palavras de incentivo, mas quanto a publicá-lo, acho que desisti rsrs. É tudo muito complicado...

Teus poemas estão ficando cada vez melhores...Ameeeeei "Alarme"!!!

Um grande abraço!
Bia Franco

Sueli Gallacci disse...

Oi Adhemar!

Passando pra te deixar um abraço e dizer que depois de um longo período de afastamento, voltei a blogar.
Já andei por aqui colocando a leitura em dia. Seus poemas continuam acariciando a minh’alma!

Bjo grande.
Sueli Gallacci

tiaselma.com disse...

Adorei o visual do blog, Adh! Lindo, lindo!
Seus poemas, ça va sans dire, sempre me encantam, poeta!

Beijocas!