Pesquisar este blog

domingo, 18 de março de 2012

PAÇOS

Um palácio pode conter um príncipe?
Um palácio pode deter o poder monárquico?
Um palácio pode fazer a família real se comportar?
Um palácio encerra segredos, extrema riqueza, mas não necessariamente expressa beleza, bom gosto ou alegria.
Um palácio pode exalar mistérios, pode abrigar ministérios mas não necessariamente poder.
Um palácio pode parecer suspeito e requerer explicações.

Um palácio deve conter o príncipe afobado.
Um palácio deve emanar o poder do rei com sobriedade e distinção.
Um palácio deve abrigar decência e liberdade, transmitindo aos seus reais moradores dignidade e alteza.
Um palácio deve permear seus mais recônditos segredos entre obras de arte e os poderes do estado.
Um palácio deve demonstrar sua elegante e refinada cultura expressa no seu conteúdo, objetos raros, no seu formato racional, objetivo e luxuoso, sem excessos e sem cafonice.
Um palácio deve ser sempre acolhedor.
Um palácio deve ser, sempre, a própria realeza; porque um palácio é mais que um castelo...

[Adhemar - Santo André, 13/09/2006]

Espaços

Esqueci de comentar a mudança da foto. A anterior foi tirada no aeroporto de Ilhéus, em janeiro de 2008, pelo meu filho Marco. A foto atual foi tirada por mim em janeiro de 2011, no museu Torres Garcia - em Montevideo - no foyer do teatro homônimo em homenagem ao artista plástico uruguaio, autor da escultura-painel em ferro batido que ilustra agora o blog.

Adhemar, 18/03/2012

Nenhum comentário: