Pesquisar este blog

sábado, 21 de abril de 2012

VÁCUO

Salto no espaço, no escuro.
Salto sem rede. Sem rede?
Um salto rumo ao futuro,
um salto na fome, na sede.

A conquista de um novo espaço, ou luz.
Girando os braços em torno da liberdade;
ou esperando, os braços em cruz,
a conquista da realidade...

Primeiro momento, compasso de espera;
primeiro instante, como um alimento,
energizando, inspirando na esfera
preâmbulo do acontecimento.

E na posição clara do objeto,
do fato sem esmorecimento
é que ficam os anjos mais perto
de amores e de sentimento...

[Adhemar - São Paulo, 12/08/2009]

Descompressão

Não gosto deste texto, mas agora veio parar aqui... Parece um rascunho incompleto, sei lá. Sinto muito.

Adhemar, 21/04/2012

Nenhum comentário: