Pesquisar este blog

terça-feira, 1 de maio de 2012

PASSADOS


"Tua sombra se levanta do meu passado.
Um passado intermediário.
Sim. porque tenho classificado o meu passado em vários."
"O passado pré histórico é o que remonta à primeira infância.
Hoje em dia, a memória o desmancha,
causa perdida em única instância."
"Já o passado básico abrange o do quando criança até o se entender por gente.
Lembro-me vagamente crescendo,
querendo ser grande com uma pressa urgente."
"Depois, o passado intermediário.
Este liga o infante ao adolescente,
ao quase-homem.
Marca o início dos pensamentos,
tanto os profundos quanto os indecentes."
"E tua sombra, esperta, se fez impressa no tímido pubescente;
que mais tarde, feito poeta,
te cantou e te louvou em múltiplos espelhos diferentes."
"E tua sombra, esperta, grudada no jovem mocinho,
atravessou meu passado moderno,
aquele do recém-homem ao homem sério.
Escondeu-se por um certo tempo numa aura de mistério,
no estrangeiro."
"Minha fase de homem sério é meu passado contemporâneo,
é meu passado te procurando,
um outro lado se aprimorando naquilo que não é instantâneo."
"E o meu passado recente é o meu futuro,
o meu presente trancado no lado escuro de um sentimento dolente;
no qual tua sombra pura continua predominante."
"Mas a certeza que carrego na mente
é guardar a tua sombra criança,
tua lembrança,
para trás, pra hoje e pra sempre…"
[Para A.P.C. - Adhemar - S. Paulo, 25/06/2000]
Memória
Escrito a próposito da lembrança de um amor (platônico) da adolescência; quando me dei conta, ela tinha partido de inatingível para inalcançável…
Adhemar, 02/05/2008.

Um comentário:

jose claudio disse...

Ah, Adhemar! você me fez viajar lá na minha Capitu. É isso mesmo, eu tive na adolescência um amor platônico, "dissimulada e com olhos de ressaca" tal como a do Machado. rsrs. Que maravilha, meu amigo!

Abraços e obrigado pelas gentis visitas deurante o meu silêncio obsequioso da ausência.

Muita paz e bem pra você e toda a família.