sábado, 30 de junho de 2012

PROFUNDIDADE ABSOLUTA

Olhos fechados.
Lembranças...
Imagens coloridas.
O engrandecimento das emoções repetidas.
A divisão dos sentimentos,
o compartilhamento,
as fases divididas...

Boca hesitante,
frases diletantes...
Palavras fugidias.
O acontecimento contestado e brilhante.
Luz se apagando,
o esmaecimento,
imagens coloridas...

Braços levantados.
Lamentos...
Momentos revividos.
O esquecimento do que está distante.
O dia está morrendo,
a noite está chegando,
paisagens dissolvidas...

[Adhemar - São Paulo, 21/06/2012]

3 comentários:

Selma Barcellos disse...

Inspirado Adh!

Poderia ser sempre assim: fecharmos os olhos e só vermos lembranças coloridas, não?

Beijocas de retorno!

jose claudio disse...

Esse mosaico de sentimentos, emoções e lembranças é bom demais Adhemar. Pode ser que incomode em determinados pontos de encontro /desencontro de nós conosco mesmos, mas é um saldo e tanto. Ainda mais quando se transforma em versos. Suaviza e vivência.

Maravilha, meu amigo! Abração. Paz e bem.

Sueli Gallacci disse...

Ah! Adhemar, que lindo esse poema!

É dificil comentar poema. Poema a gente sente, apenas. Senti alguém revivendo grandes emoções em doces lembranças. Lindo...

Bjo grande.