Pesquisar este blog

terça-feira, 7 de agosto de 2012

IDA



"Por onde ir é uma questão recorrente. Estamos sempre procurando e as invenções nos levam à distração de ficar olhando os novos meios de transporte. Então, quando despertamos desses doces devaneios tecnológicos, estamos atrasados, perdidos e desorientados."
"Com quem ir é uma questão delicada. Sempre parecerá que poderemos nos fazer acompanhar por todos ou, por qualquer um. Mas, na prática, muitos nos rejeitam, outros querem impor o seu próprio itinerário; alguns planejam excessivamente o trajeto, as paradas e o destino. Há quem não queira sair do lugar. E há quem vá totalmente indiferente aos meios, aos rumos e ao ponto final."
"O que levar depende da disposição que se tem no que se vai fazer pelo caminho. Na produção de idéias e coisas, atitudes e decisões. A comunicação - se necessária -  com os acompanhantes, os circusntantes e os transeuntes. A publicidade que  vai agitar, pública ou particular, à torcida, aos inimigos e aos civis…"
"Finalmente, a dependência de uma filosofia concreta ou arbitrária, pensamentos passando tão rápidos que a bagagem estará composta de loucura. Definições tão exatas num repertório variado e aberto, que a loucura parecerá uma lucidez lúdica, lógica e sensacional. E, até que enfim, partir para esse mundo artificial de cientistas, românticos e poetas."
[Adhemar - Sto. André, 01/11/2004]

Nenhum comentário: