Pesquisar este blog

domingo, 26 de agosto de 2012

PONTAS

Saída. Fachada. As aparências se impondo. Diplomacia rasgada, sem impasse: Só desacordo. Acontecimento iminente, providências urgentes. A emergência, a gravidade e a pose ante um problema... dos outros! a rica circunstância e o agradecimento por nada.

Passos macios. a pressa desenfreada. Um verso após o outro numa prosa desastrada. As exigências do negócio: uma enorme paciência e muita disposição pra levar pancada. As dores importantes e desnecessárias...

Sáida. Fechada! Ao invés das aparências, a incongruência do indefinido. Bloqueios, Contrapartidas negadas. Planos inclinados, vozes abafadas. No exterior, os rumores advindos de uma turba exaltada. Um passo em falso no cenário, um gesto mal interpretado. A voz vacila, o canto oscila, as palavras caem no vazio de não serem escutadas. O chamado inconcluso. O arquivo arrombado...

[Adhemar - São Paulo, 25/01/2012]

Nenhum comentário: