Pesquisar este blog

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

GUARDANAPO

Eu sou do tempo da poesia escrita em guardanapo de bar. Como este excerto, por exemplo.
Eu sou do tempo do beijo na mão, da flor em botão, dos olhos nos olhos, da boca sorrindo nos olhos.
Eu sou do tempo em que o preço do amor não era medido por um vaso de flor, ou caixa de bombom.
Eu sou do tempo de namorar no portão...

Eu sou do tempo passado, do tempo presente e do futuro contigo.

Beijão.

P/ SM (23 anos de casório)
[Adhemar - 02/12/2011 e 26/09/2012]

Papel

Até a "boca sorrindo nos olhos", foi escrito no guardanapo e estava guardado num dos cadernos. O restante foi escrito agora e ambos para a musa do poeta...

Adhemar, 26/09/2012


2 comentários:

Marli Borges disse...

Lindo poema, lindas palavras e linda promessa. Bjsss

Sueli Gallacci disse...

És um cavalheiro, e felizarda é a musa do poeta!

Bjos ao casal.