Pesquisar este blog

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

MIL PEDAÇOS

De tão fragmentado eu reconheço
o coração partido que não volta;
apesar de catar cacos, recomeço,
nesse clima de amargura e de revolta.

O coração, acompanhado por escolta,
vai despedaçado e pelo avesso;
apegado a cada parte que não solta
num reconstruir que não tem preço.

E tenta em vão comportar-se como adulto,
estraçalhado, porém firme, sóbrio e culto
num acabado sofrimento a tempo e hora...

Fazer do sempre a esperança do agora;
fingir o mosaico elogiado como insulto
sofrendo então do amor ainda insepulto...

[Adhemar - Santo André, 03/05/2007]

Um comentário:

Suzane Weck disse...

Ola caro amigo,parabéns pela autoria de "Mil Pedaços",é um belíssimo poema.Consegui hoje atender á teu pedido cantando September,naturalmente "a mi manera".Espero que gostes e que tenhas um tempinho para dança-la novamente.Desejando um muito feliz 2013,deixo aqui meu grande abraço.SU.