Pesquisar este blog

domingo, 11 de agosto de 2013

LINHAS EMARANHADAS

Era uma vez a linha do horizonte
e uma silhueta bem delineada.
Traços delicados e erguida fronte,
era a silhueta da mulher amada.
Era uma vez a linha ocupada,
ansiedade pela comunicação aflita.
De repente, o toque da mulher amada
e a suavidade da sua voz bendita.
Era uma vez a linha e a compostura
do enamorado da amada criatura
cuja elegância ora foi pro espaço.
Era uma vez a linha e a postura,
lindo o seu sorriso, chegada da aventura;
Sejas tu bem vinda neste terno abraço.
VEM LOGO!
Às vezes a gente implica,
complica, faz birra, faz manha;
questiona e se multiplica,
bate e também apanha.
Às vezes a gente exagera;
é fera e fere e arranha.
Quando o outro quer calma, exaspera,
quando quer sossego, se assanha!
Aí, um pega e vai embora,
porque precisou, ora, ora!
Trabalho, negócios, Europa!
E a gente, de olhos despertos,
espera, de braços abertos,
a amada da gente de volta!!!
[Para S.M.  - Adhemar - S. Paulo, 22/04/2008]
UFA, ATÉ QUE ENFIM!
Após onze dias ausente, a trabalho, a arquiteta aqui de casa chegou hoje. Aproveitou parte da  viagem para passear um pouco, já que estava lá mesmo, mas pra nossa alegria, está de volta. Bem vinda!
Adhemar, 24/04/2008.

Um comentário:

Adh2bs disse...

COMENTÀRIOS NO ORIGINAL:

Comentário por Marco Luiz — quinta-feira, 24 de abril de 2008 (15:11:55)
Heheehehe
Bonita a poesia do homem apaixonado. O surpreendente é em quanto pouco tempo ela foi escrita, pois a amada chegou agora há pouco.

Comentário por isa — sexta-feira, 25 de abril de 2008 (11:45:52)
Curtam com muito amor e alegria este momento de reencontro!!! BÃOPURDIMAIS…
Abraços

Comentário por Noemí — sábado, 26 de abril de 2008 (01:48:12)
Lindo o sentimento que inspirou o poeta / que bom poder sentir com tal profundidade.
Enfim sou suspeita . . .