domingo, 20 de outubro de 2013

CÉU ESTRELADO

Ritual de passagem, chiste espiritual. 
Impressão resumida, reunião informal.
Na poética, na didática, na informação social; 
uma estranha dialética, positivismo total.
Primitivismo premeditado, primária reação global. 
Um exame, uma performance, apresentação especial.
Bola no canto, golaço; e o grito primordial. 
Inaugurado o placar, implicância cordial.
Cordão, barbante, novelo, um panorama geral. 
Muito frio e muito gêlo fazendo uma glacial.
Uma noite, um luar, uma nuvem e um pedido especial: 
para a cadente estrela, pra além do bem e do mal.
Daí uma sonolência, uma nave espacial. 
E a vibração da galera na arquibancada e geral.
Cadeira, prego, notícia, TV, rádio e jornal. 
Muita fé, muita malícia, muito blá blá, coisa e tal.
Mão na mão, olhos nos olhos; tudo bem natural. 
Pensamento puro e o coração - igual.

[Adhemar - S.Paulo, 08/10/2007]

Nenhum comentário: