Pesquisar este blog

domingo, 24 de novembro de 2013

MINHA AVÓ

EIS
Trazer-se aos noventa anos é sublimar uma condição tão divina que a própria luz natural se encarrega de iluminar o caminho.
Chegar aos noventa anos, ao estrelato absoluto que nenhum "Oscar" jamais conseguirá recompensar. É uma consagração - talvez ofegante - mas um desafio altivo e vivaz que os sofrimentos e alegrias não chegam a abalar.
Estar, aos noventa anos, cheia de compostura e energia para reptos e premiações, reunir seguidores e adeptos, separar estranhamentos e unir desafetos; ensinar brincando e amar incondicionalmente.
Sinceridade?
Não é para qualquer um não.
Somente uns poucos escolhidos e muito preparados.
Somente um enorme coração onde cabemos todos nós.
Somente nossa Mãe, Vó, Bisavó e Tetravó…
Parabéns, Vó Júlia, saúde e juízo, hem?
Orgulho de todos nós.
[Adhemar - São Paulo, 02/11/2004]
Vó Júlia
Pois é, moçada, amanhã ela vai completar 94 anos! Apesar de um pouco confusa, pela fragilidade da saúde, ainda tem energia para conversar, adora os bisnetos (e tem uma tataraneta que mora no Espírito Santo), ainda brinca com eles e se encanta com eles! Sobreviveu ao falecimento de uma filha (Tia Nilce - "post" de 11/07/08), do meu avô (Meu avô - "post de 28/05/08) e está aí, um exemplo de determinação e dedicação à família. Temos muito em comum: gostamos de abacaxi (nossa fruta predileta), achamos que a boa educação e a gentileza cabem em qualquer lugar sem ocupar espaço, ela me ensinou muito sobre as diversas fases por quais passam as crianças e pequenos truques que auxiliaram na educação dos meus filhos e, de quebra, ela é minha madrinha! Deixo aqui um grande beijo e um enorme abraço de mais do que neto, fã mesmo. E peço a gentileza da tia Nádia (outra pessoa que será devidamente relatada aqui) ler pra ela essa babação de ovo aí em cima, apesar de ter dado a ela o texto principal deste "post" há quatro anos. Amanhã almoçaremos juntos pra te reverenciar, Vó.
Adhemar, 01/11/2008.

VÉSPERA
E por falar em véspera: o texto acima foi postado um dia antes do aniversário de minha avó Júlia (94 anos, então), em 01/11/2008. 
Com Vítor e João, dois de seus bisnetos, em foto tirada em 24/12/2010, exatamente um ano antes de sua partida.
Saudade...
Adh, 24/11/2013.

2 comentários:

Adh2bs disse...

Comentários da época:

Comentário por Marco Luiz — sábado, 1 de novembro de 2008 (18:59:00)
Pois é! Eu tenho o enorme pre(i)vilégio de ser bisneto dela. Hoje estava observando ela brincar com os pequenos, que paciência e disposição, aos 94 anos! Por isso que ela é tão especial.
Estou aqui ajudando a preparar a festança para comemorar o aniversário dessa pessoa tão importante para todos nós, a base da família, a bisa Júlia.
E gostaria de te parabenizar por escrever essa bela homenagem.
Abração.

Comentário por renato — sábado, 1 de novembro de 2008 (22:50:11)
obrigado por me ler cara!
so pra saber…de onde vc é?
adorei as poesias..
abs

Comentário por Joselma Noal — segunda-feira, 3 de novembro de 2008 (13:31:37)
Curte bastante a tua avó. Eu sinto a maior saudade da minha, que, casualmente, tb era minha madrinha! Parabéns para Júlia e pra ti pela bonita homenagem. Bj, Joselma

Comentário por ricardo — segunda-feira, 3 de novembro de 2008 (14:31:45)
parabéns para a xará do Julinho! Abs

Marli Soares Borges disse...

Lindo, Adhemar. Gostei de sua avózinha. Idade avançada (...íssima...) e sempre marcando presença. Como você mesmo disse, isso não é para qualquer um e eu acrescento: é para os escolhidos. Mas agora resta a saudade. É a vida, meu amigo, é a vida. Também tenho meu pai 88 que vem enfrentando a vida e driblando o tempo. Lúcido, jogador inveterado de sinuca pela internet, facebookiano de carteirinha e 'gostador' de cerveja. Minha mãe também está por aqui, enganando o tempo. Meu amigo, agradeço tudo isso, mas nem gosto de falar, me arrepia. Falei agora porque me emocionei com a sua avozinha, chego a enxergá-la, apesar de não tê-la conhecido pessoalmente, mas seu relato é fantástico, e sei que a conheci. Feliz você por tê-la tanto tempo e com invejável saúde. Curta sua saudade, uma doce saudade. Bjs Marli