domingo, 19 de janeiro de 2014

BOLHA

A genialidade de uma ideia é muito suspeita. Desconfiemos, pois, do brilho intenso das grandes sacadas. O tempo - às vezes nem tão longo depois - se encarrega de mostrar que aquilo não era tão viável assim, ou prático. Aí, seremos obrigados a sustentar só com retórica convincente; ou retumbante...

A genialidade de uma ideia se dissipa muito intensamente; se dissolve nos próprios desdobramentos, nas consequências ou nos efeitos. Obriga-nos a fantasiar e mascarar os fatos que a desmentem e nos provocar poderes mágicos. Para sustentá-la neste ponto só a genialidade de outra ideia que a suceda ou explique.

A genialidade de uma ideia é "canhestramente" insustentável; é nesse argumento mesmo que nos apoiamos para justificá-la:  sua improbabilidade. Quanto mais estranhas as razões que apresentarmos, mais fantástica ela será, ou melhor, irá parecer!

A genialidade de uma ideia só tem como se defender se gerar uma grande ilusão "indesmentível"...

[Adhemar - São Paulo, 24/09/2011]

Nenhum comentário: