Pesquisar este blog

terça-feira, 27 de maio de 2014

DEVANEIO NOTURNO

Quase um sonho.
Imagino.
Te vejo sorrir.
Sorrio.
Quero cantar.
Assobio.
Meu relógio me diz:
- Hora de ir.
O portão não se abre.
Partir?
Perco a chave, a carteira…
Mas é você, eu sei!
Sei que fico.
A lua ri de mim.
Advinha…
Quando olha…
Eu não fui!
Tuas mãos?
Dentro das minhas.
P/MG
[Adhemar - novembro/1981]

Um comentário:

Adh2bs disse...

Comentários na postarem original:

Comentário por laiz mara — quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009 (19:13:01)
suspirei agora… sutil… profundo………..

Comentário por Manhosa — sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009 (19:47:10)
Huummm…
Gostoso… leve… carinhoso…
Bjs.

Comentário por Gabriela — sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009 (22:15:26)
Gosto dos Devaneios!!!
hauhauhauhauhau
=D

Comentário por caurosa — domingo, 8 de fevereiro de 2009 (12:03:11)
Olá meu caro amigo poeta Adhemar, quantos sonhos de amores sonhados, quantos devaneios noturnos. A falta de vontade de largar as mãos tão amada da mulher querida. Quanta saudade, quanta saudade…Muito bom, meu amigo, parabéns.
Paz e inspiração,
forte abraço
Caurosa