sábado, 19 de julho de 2014

TRUQUES

Mágicos presentes, simples regalos,
uma história bonita e comovente;
bradam os sinos aos badalos:
acordem! Mas já foi: 
nossa bondade inocente
deixa escoar ao pedinte 
um dinheiro, mesmo ralo.

Um espetáculo de rua
como fosse um picadeiro.
Um artista habilidoso e envolvente,
engraçado, perspicaz, hospitaleiro.
Escolhe uns ajudantes entre, 
quem o cerca, tanta gente;
o faz de modo certeiro
e muito competentemente.
Depois de pantomimas e piadas
com o público totalmente envolvido,
vem à baila o tributo às risadas
no chapéu, meio roto e comovido
pelas notas e moedas lá deixadas.

O alegre cachorrinho de uma linda moça,
que com todos brinca e se enrosca.
Ela, de olhos tristes, se encolhe, 
meio tímida e sem graça
quando cercada pela plateia curiosa.
Essa gente que ri com ela nessa praça
vai ficando sem carteira,
fisgada por um diligente comparsa...

[Adhemar - Florença, 16/04/2014]

Comércio de rua, que sofre a concorrência de ambulantes sem banca e pedintes (foto: Adh2bs)

Ponte Vecchio, sobre o Arno, com lojas dos dois lados e ambulantes no meio (foto: Adh2bs)
[O camarada agachado com cartazes sob o braço e outro cara oferecendo as bugigangas no chão]

Piazza della Repubblica, cenário do golpe do cachorrinho (fotos: SM)

 Pessoas observando o "evento" na Piazza (foto: Adh2bs)

Show de rua, noturno (fotos: Adh2bs)

 Arte na rua (foto: SM)


Nenhum comentário: