sábado, 23 de agosto de 2014

MEIOS DIAS

Se de todas as maneiras,
se cada forma nova;
ou se de repente ou sutilmente
ou quase sempre e sempre quase;
se na ansiedade
ou na mais tranqüila espera;
nos cantos, nos recantos,
onde quer que se esteja;
se na cotidiana rotina
ou na ausência do cadenciado dia-a-dia;
nas dúvidas, nas certezas
ou nos meios-termos;
se nos resumos e nas sínteses
ou se em simplesmente tudo,
mesmo quando nada possa perturbar:
é a imagem fixa que acompanha a mente.
Que imagem e qual mente?
É o segredo encerrado nas palavras
ora públicas,
que se enterra e agoniza
nesta boca de papel...
[Adhemar - São Paulo, 09/03/1988]
P/ BSF

Nenhum comentário: