terça-feira, 9 de setembro de 2014

BEM VINDA

Primavera.
Ouvi no rádio que chegas hoje,
às 14:29.
Por favor, não se atrase.
O Inverno já está cansado
e quer ir embora.
Somos incompatíveis, sabe?
O Inverno e eu.
Ele é um senhor meio ranzinza,
sempre de mau humor,
sempre cinza.
Encara tudo com uma certa frieza…
De repente me ocorre se tens relógio,
Primavera.
Não vá desmentir os meteorologistas
pois mais do que um anunciou
a hora do teu encontro com a gente.
O senhor meio ranzinza
despede-se elegantemente;
faz uma reverência tirando o chapéu,
acenando.
Um último sopro,
uma última lágrima fria
e lá vai ele, reumático,
caminhando…
Outro hemisfério o espera.
Entre, venha, sente-se.
Se aqueça, nos aqueça e nos ilumine,
querida e florida Primavera.

[Adhemar - S. Paulo, 22/09/2000]

Um comentário:

Adh2bs disse...

Comentário por Érica — segunda-feira, 22 de setembro de 2008 (14:37:51)
Eba! A minha primavera chegou!
E que chegue com ela as flores para todos, bom… isso é, se o tempo não enlouquecer, como vem fazendo.
Bjo,
ótima semana

Comentário por Nã — segunda-feira, 22 de setembro de 2008 (16:51:58)
“Me espera, amor
Que eu estou chegando
Depois do inverno
É a vida em cores
Espera, amor
Nossa temporada das flores…!”
Lembrei dessa música ao ler o que escreveu…

Comentário por Joselma Noal — terça-feira, 23 de setembro de 2008 (11:31:38)
Belo poema de exaltação à estação mais maravilhosa. Boa primavera, Adhemar! Beijo, Joselma