Pesquisar este blog

domingo, 14 de setembro de 2014

CACHOEIRAS

Quando toda a luz se derramar
e o mar virar sertão;
quando toda a treva se acabar
e o bar for contramão;
quando toda a vida se esvair
e não ir não vai dar não;
quando toda a brisa te beijar
e o já passar então…
Vai teu coração se contrair,
vai tua razão te bronquear;
vai cada teu gesto desmentir,
vai o teu amor desconfiar.
Pior; o teu amor vai descobrir
que não passas de uma fraude regular
que não tem onde ficar nem onde ir.
Estarás, então, entregue à correnteza.
Estarás perdendo, enfim, toda razão.
Não adiantará contrariar a natureza
porque serás caso perdido na emoção
nem irás remover com tal certeza
a dor que carregarás no coração;
nem devagar nem com presteza.
Mas se fores presa de atenção,
se contornares o sentimento aflitivo
sendo capaz de estender a própria mão;
terás como um futuro só definitivo
a escapar do amor-paixão,
similar ao remédio mais paliativo
sempre aplicado com reservas, com senão,
enquanto negas pra ti mesmo que és cativo…
Mas se a sorte que te cerca te sorrir;
se tua sina for viver então feliz…
Preencha logo o formulário onde assina
a ficha de continuar um aprendiz.
Um aprendiz de repertório variado.
Um aprendiz do amor e da beleza.
Um vivente mais seguro e sossegado
que não despreza o que as cartas dão na mesa.
Quando então toda a luz só se tornar
ante olhos turvos apenas em escuridão,
tu possas plenamente se lembrar
que todos nós somos só contradição!

[Adhemar -  São Paulo, 27/06/2008]

Um comentário:

Adh2bs disse...

Comment by TATIANA REZENDE — Thursday, 29 de January de 2009 (14:27:30)
Fraude regular... Gostei! Beijo, Tati.