domingo, 7 de setembro de 2014

CAMPEONATO DE POTOCA (11)

O PEQUENO CONTO DO MACACO
Era uma vez um zoólogo praticante que criava animais procurando reproduzir em seu quintal os ambientes naturais de cada um, para poder estudá-los melhor.
Um belo dia, nosso zoólogo ganhou um macaco. Um bicho esperto que logo lhe conquistou a amizade, despertando-lhe uma grande simpatia que nunca chegou a sentir por nenhum dos outros animais.
Passados os anos, o bicho havia-lhe mudado completamente a maneira de ser. Vivera até então praticamente em função desse macaco que se mostrava muito observador e atrevido. Descuidava dos outros animais mas o macaco lhe corrigia tratando-os como se fosse seu próprio dono e o colocava na linha!
Depois de muito tempo de convivência e mútua admiração, os dois já meio velhos, houve o dia em que o zoólogo morreu de um súbito colapso cardíaco. Percebendo o que  tinha acontecido com o amigo, o macaco não se deu por achado: incinerou-o e guardou suas cinzas como o tinha visto fazer em vida com inúmeros animais. E melancolicamente pôs-se a fumar, olhando nostalgicamente pela janela, pensando se não devia escrever um livro.
E assim termina a história do macaco que estudou o homem.
[Adhemar - São Paulo, abril/1981]

Um comentário:

Adh2bs disse...

Comentário por Daisy — domingo, 31 de agosto de 2008 (10:19:18)
Brilhante!
Diga-me, esta pequena crônica ficou mesmo 27 anos na gaveta?
Se tiver mais destas, ponha imediatamente o macaco para escrever o livro!
Obrigada, novamente, pelos comentários.
Beijo na sua poética família e no poeta, que é você.
Daisy

Comentário por Bárbara — segunda-feira, 1 de setembro de 2008 (10:22:17)
Maravilhoso.Fiquei sem palavras.
abraços.
ps - to com saudades de são paulo..o lugar bom de mais.

Comentário por Manhosa — sábado, 11 de outubro de 2008 (10:20:15)
Apaixonante…
Sem comentários… só marcar presença…
Bjs.