quinta-feira, 11 de setembro de 2014

CAMPEONATO DE POTOCA (12)

A  NOITE
A noite estava tão escura, tão escura, mas tão escura que não se enxergava nada. Até o rapaz reconheceu isto. E pensava: "que noite escura! Não consigo nem ver as horas!" Aí, então, lembrou-se de abrir os olhos e acender a luzinha do seu relógio digital: "12:02". Pensou que, provavelmente seria "meia-noite e dois" mas, e se fosse meio-dia? Ah, sim, e o sol? Bem, reconhecer que era noite já era um passo muito largo para um rapaz de poucas posses mentais.
Lembrou-se então que tinha de comparecer a uma ceia. Mas naquela escuridão não se lembrava nem do caminho de casa, quanto mais de um lugar aonde nunca havia ido e que nem ouvido falar tinha. Mas não tinha a menor importância; além de atrasado, não gostava de peru.
Saiu do carro, deu alguns passos e olhou para todos os lados, coincidentemente escuros do mesmo modo, por igual. Pensou em dormir mas, quem é que acha o carro nessa escuridão? Resolveu deitar-se no chão mesmo. Mas apalpou bem o local antes para saber se era o chão mesmo, pois não via. Quando achou que era, deitou-se. De repente acordou sobressaltado. Continuava a não ver nada, só que com uma diferença: estava tudo claro, uma neblina dos diabos. Desesperado, começou a correr. Mas deu uma bruta topada no carro, machucou o joelho. Saiu pulando numa perna só, chocou-se com uma porta que se abriu e ele caiu num tapete macio, por sorte. Mas o ambiente estava completamente escuro! Quase começou a chorar. Ainda bem que despertou antes!
[Adhemar - julho/1981]
Pesadelo!
Esta bobagem tinha uma continuação em que o protagonista despertava dentro da neblina, outra vez; e não acabava mais, num moto contínuo irritante. Quase um etc.; mas achei que era judiar demais da boa vontade dos amigos…
Adhemar, 07/09/2008.

Um comentário:

Adh2bs disse...

Comentário por Bárbara — segunda-feira, 8 de setembro de 2008 (10:44:54)
vá ao cinema sim..aposto que vai gostar..
Em breve vai estreiar o Filme do onibus 174…
Não vejo a hora
bjs!

Comentário por Daisy — segunda-feira, 8 de setembro de 2008 (17:14:30)
Não seria abusar, absolutamente! Estou muito curiosa para saber o resto da história, mesmo!
Grande abraço.
Daisy

Comentário por Alexandre Souza — quarta-feira, 10 de setembro de 2008 (21:27:43)
Desculpe a franqueza, mas textinho fraquinho, hein! Este poderia estar classificado na categoria: “impublicáveis”.