sexta-feira, 5 de setembro de 2014

CAMPEONATO DE POTOCA (6)

VISÃO
               Em um longínquo lugar, onde a neve cobre as montanhas, um pequenino pastor conduz seu rebanho para o campo, acompanhado pela aurora. Despreocupado, segue seu caminho quando, subitamente, muda-se o céu. Nuvens negras "ensombrecem" o rebanho. O pastorzinho já ia reuni-lo para o reconduzir ao curral, mas um vão se abre nas nuvens e uma luz intensa desce sobre ele.
- "É o Senhor que te chama", diz uma voz, suavemente. "Ouça-o".
                O pastorzinho, quieto. Esperava ansioso para ouvir o que Deus tinha de tão importante para dizer que ia fazê-lo pessoalmente a um pequeno pastor. E ouviu:
- "ESTÁS VENDO AQUELAS MONTANHAS?"
- "Sim", disse o pastorzinho.
- "VAI ATÉ A MAIS ALTA DELAS, QUE É A MAIS DISTANTE, ESCALA-A SOZINHO MAS DEIXA TEU REBANHO AO PÉ DELA. CRAVA TEU CAJADO EM SEU PICO; NÃO IMPORTAM AS DIFICULDADES DO CAMINHO NEM O TEMPO QUE LEVARES PARA A CHEGADA. CRAVA E PRONTO! ESTARÁ CUMPRIDA TUA MISSÃO SAGRADA COMO SER HUMANO."
               O pastorzinho nem discutiu. Após as divinas palavras, pôs-se a caminho. Levou anos para chegar lá. Ovelhas morreram, ovelhas nasceram e as dificuldades haviam sido muitas. Mas ele chegara na montanha indicada.
                Diante dela, ele se desesperou. Ela era tão grande, tão íngreme… Pensou no rebanho, em tudo, no entanto sua fé foi maior e resolveu acatar as Sagradas Instruções. Deixou o rebanho acomodado ao pé da montanha e começou a subir.
                Levou outros muitos anos para chegar ao cimo. Mas… Chegou. Pensou nas ovelhas - que já deviam ter pego traças na lã! Mas enfim, lembrou-se das palavras do Senhor e cravou seu cajado (que já estava no toquinho, gastou com o tempo) e perguntou, coçando a cabeça já grisalha:
- "E agora, Senhor?"
- "PÕE MAIS PRA LÁ, MEU FILHO", disse o Senhor, "POIS O CRAVASTE EM MEU PÉ!"
[Adhemar - abril/1983]
Vislumbre!
Gente, achei minhas pastas com escritos anteriores a 1986! (Quanto pó!) Esta tolice foi escrita sob um pseudônimo numa seqüência de cartas trocadas com um amigo (aquele da "briga" postada em 20/04/08). Qualquer hora conto a história dos dois (do meu amigo e do meu personagem que emprestou o pseudônimo).
Adhemar, 22/06/2008.

Um comentário:

Adh2bs disse...

Comentário por Daisy — terça-feira, 24 de junho de 2008 (16:12:03)
Divina tolice esta!
É um prazer lê-lo, ainda mais quando considera tola uma metáfora tão preciosa.
Grande abraço.