Pesquisar este blog

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

ELETRICIDADE

Uma calma repentina desce do nada;
após uma explosão previsível,
anunciada,
inevitável.
Dentro dessa calma,
a imersão no escuro dos próprios pensamentos
turvados pela revolta da injustiça.
Quão omisso fôra antes
já não vem ao caso.
Dentro dessa calma,
a consciência de ser.
O se dar conta do próprio tamanho,
do próprio alcance
e da própria força.
Dentro dessa calma,
a percepção de erros e acertos
e da importância de existir.
O vulto e o compromisso,
o poder e a visão.
Dentro dessa calma,
a imensa vontade de permanecer em paz.
[Adhemar - São Paulo, 28/04/2008]

Um comentário:

Adh2bs disse...

Comentário por isa — quarta-feira, 30 de julho de 2008 (16:52:44)
Nossa!!! será que é a fase lunar?
Hoje comecei o dia escrevendo sobre a calma, a paz… sobre o direito adquirido de curtir a vida “passarinhando”… hehehe!!!
Pensamentos semelhantes… coisas de sonhadores como nós?

Comentário por Manhosa — sexta-feira, 10 de outubro de 2008 (13:42:12)
Assim… bem assim…nestes altos e baixos…atropelos e vazios…
Vai se escrevendo a história de uma vida…
Bjs.