segunda-feira, 8 de setembro de 2014

ESPELHO CRUEL

Às vezes, vendo um rosto,
vê-se uma história.
Uma leitura de tristeza e sofrimento
ou satisfação e alegria.
Lê-se uma vida inteira
de dedicação e sacrifício,
de torpeza e falsidade,
de ócio e riqueza.
Às vezes, olhando um rosto,
ouve-se as batidas surdas
de um coração atormentado;
ou a música da felicidade íntima de um ser.
Ouve-se o canto maravilhoso da natureza humana
ou o áspero ruído de mesquinharia e avareza.
Às vezes, contemplando um rosto,
a gente se defronta com a própria realidade.
[Adhemar - São Paulo, 06/12/2007]

Um comentário:

Adh2bs disse...

Comentário por icognito — sexta-feira, 1 de agosto de 2008 (22:20:33)
E digo mais, quem beija de olhos abertos beija muito mais do que aqueles que o fazem feCHado! Um olhar diz, consente e sente.

Comentário por tah — sábado, 2 de agosto de 2008 (17:15:59)
fala adhm!
qto tempo!
Passei aqui pra te desejar um bom fds
bjos

Comentário por Sara — quarta-feira, 6 de agosto de 2008 (14:01:45)
Oi! Obrigada pela dica e pelo coment! Adorei este texto. A realidade às vezes é tão dura que nem temos coragem de olhar no espelho. Abraço!